domingo, 29 de dezembro de 2013

Resenha #09 — Ecos dos Mortos (Johan Theorin)

Ecos dos Mortos
Título original: Skumtimmen
Autor: Johan Theorin
Editora: Record
Páginas: 488


"A densa neblina envolve a ilha de Öland, na Suécia, fazendo-a mergulhar em tensão e mistério. No dia em que o pequeno Jens desapareceu, a névoa era tão intensa que mal se podia ver um passo à frente. Vinte anos depois, o incidente ainda não solucionado faz com que a mãe do menino, Julia, mantenha sua vida em suspenso, repleta de incerteza, saudade e melancolia. Mas pequenas novidades vêm à tona. E, ao voltar a Öland para visitar o pai, ela encontra novas peças para o quebra-cabeça que atormenta há duas décadas."



O livro começa com o dia em que Jens pulou o muro da casa dos avós e desapareceu. Nesse primeiro capítulo, a única coisa que descobrimos é que ele encontrou um homem no meio da neblina. Um homem que se apresentou como Nils Kant. Daí em diante os capítulos são divididos entre os dias atuais (cerca de vinte anos após o sumiço do garoto), onde Julia insiste em descobrir o que de fato aconteceu com seu filho, e uma retrospectiva da vida de Kant. Durante tais narrativas não conseguimos encontrar nenhuma ligação entre Kant e a família de Julia, até chegarmos ao fatídico dia e tudo se esclarecer. Várias pistas surgem enquanto Julia revira o passado em busca de respostas; pistas que nos fazem pensar junto com ela e tentar entender todo esse mistério.

Literatura Sueca, ambientada num local bem diferente daquelas que estamos acostumados encontrar em bestsellers que, em sua maioria, são norte americanos. Senti certa dificuldade de visualização no começo da leitura, mas logo me acostumei e foi como viajar para bem longe.

A dinâmica dos capítulos divididos em épocas e personagens diferentes causa um pouco daquela mesma ansiedade em continuar a leitura para descobrir o que acontece a seguir na cena que foi congelada, assim como acontece com livros de Harlan Coben, e isso posso apontar como um ponto positivo da obra. Como ponto negativo posso dizer que, quando estamos acompanhando Julia e suas investigações, senti as coisas sendo arrastadas demais por diversos momentos. Em outras palavras, nesses capítulos acontece certa "enrolação desnecessária". A história é emocionante e angustiante, mas esses momentos de "enrolação" acabam prejudicando o clima envolvente causando mais impaciência do que qualquer outra emoção.

Desconsiderando essas "enrolações", a história é muito boa! Posso dizer que é um dos livros mais surpreendentes que já li. Quando fui me aproximando do fim, eu já tinha uma certeza em relação à ligação de Kant e o garoto que foi confirmada. Mas a história toda, como as coisas aconteceram e a razão de terem acontecido, realmente me surpreenderam. É um daqueles casos em que ninguém está totalmente livre de suspeitas.

Ecos dos Mortos é uma ótima pedida para quem gosta de mistério! Sem contar que também é sempre interessante conhecermos obras de nacionalidades diversas.

Johan Theorin ganhou prêmios com essa obra, primeira de sua autoria. Infelizmente ainda é o único livro do autor que chegou no Brasil e até então não tenho notícias de outros, mas vou ficar esperta. Com certeza eu daria uma segunda chance para ele, pois, mesmo me deixando impaciente em alguns trechos, o desfecho da história valeu a pena. É sempre bom quando um livro nos surpreende.

Nenhum comentário:

Postar um comentário