quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Resenha #01 — Trilogia A Mão Esquerda de Deus (Paul Hoffman)

A Mão Esquerda de Deus
Título original: The Left Hand of God
Autor: Paul Hoffman
Editora: Suma de Letras
Páginas: 327

"O Santuário dos Redentores é um lugar desolador. Um lugar onde a esperança e a alegria não são bem vindas. A maior parte dos meninos que habitam o lugar foi levada para lá muito nova e contra a vontade. Eles padecem sob o regime opressor dos Lordes Redentores, cuja violência e crueldade têm como único propósito honrar a memória do Redentor Enforcado — e passam suas vidas prisioneiros dos corredores labirínticos e tortuosos do Santuário, um lugar com séculos de história e segredos, e que ninguém conhece por completo... No meio de um desses corredores há um menino. Talvez ele tenha 14 anos, talvez tenha 15: ninguém sabe ao certo. Lá dentro, é chamado de Thomas Cale. Seu verdadeiro nome, já esqueceu há muitos anos. Ele já esqueceu de tudo de sua antiga vida. Em breve, será testemunha de um ato horrendo. E é neste momento que começará sua extraordinária vida futura."




As Últimas Quatro Coisas
Título original: The Last Four Things
Autor: Paul Hoffman
Editora: Suma de Letras
Páginas: 303

"De volta ao Santuário dos Redentores, Thomas Cale é informado de que a destruição da humanidade é necessária. Seria a única maneira de corrigir o maior erro de Deus. E seu papel será fundamental nesse processo: ele é a Mão Esquerda de Deus, o Anjo da Morte. O poder absoluto está ao seu alcance, e o impressionante aparato militar dos Lordes Redentores é a sua maior arma, que ele manipula com a mesma destreza com que um dia empunhou uma simples faca. Mas talvez nem mesmo os Redentores consigam controlar Cale por completo. O menino que é capaz de ir da bondade à violência mais brutal num piscar de olhos é certamente capaz de aniquilar os inimigos da fé como se espera dele — mas sua alma é muita mais estranha e imprevisível do que seus mentores podem esperar."



O Bater de Suas Asas
Título original: The Beating os His Wings
Autor: Paul Hoffman
Editora: Suma de Letras
Páginas: 389

"O treinamento militar brutal de Cale tinha um único propósito: destruir o maior erro de Deus, a humanidade. Desde que descobriu esta verdade, Thomas Cale é assombrado pelo homem que o transformou em Anjo da Morte: o Redentor Bosco.
Arrogante e inocente, generoso e impiedoso; Cale é um paradoxo, temido e reverenciado por seus criadores.
Sua força já foi usada para derrubar a civilização mais poderosa do mundo, mas agora Cale está fraco. Sua alma está morrendo. Enquanto seu corpo é assolado por terríveis convulsões, Thomas Cale sabe que o Juízo Final não irá esperar por ele.
O desejo de vingança o guia de volta ao Santuário, para confrontar Bosco, alvo de todo o seu ódio. Agora, Cale deve reconhecer que é a encarnação da ira de Deus e decidir se é hora de lançar mão de sua habilidade ímpar de destruição.
O futuro da humanidade está em suas mãos."


Primeira trilogia/saga que concluí. Adquiri o primeiro por acaso. Cheguei na livraria sem um objetivo definido, vi "A Mão Esquerda de Deus", gostei da capa e do ar macabro, levei para casa. Tentei ler e definitivamente não foi amor à primeira vista. Na primeira tentativa, abandonei antes de chegar na página 100; que leitura complicada! Não complicada estilo obras clássicas antigas, e sim complicada nas descrições, detalhes, personagens; e o ambiente medieval e desconhecido também dificultava a visualização. Mas eu já tinha o livro, ele era meu, eu precisava conhecer. Depois de terminar de ler as novidades da minha estante na época (2010), retomei esse e decidi que iria ler tudo de qualquer jeito! E foi aí que me adaptei ao tipo de escrita e me apaixonei totalmente.

Thomas Cale, A Mão Esquerda de Deus ou A Ira de Deus em Carne e Osso, é o vilão e o herói; a inocência infantil e a maldade subumana. Um dos protagonistas que mais me encantou de todos os livros que já li na vida. Violência, tortura, ódio, vingança, massacre, sacrifício e derivados estão presentes na obra o tempo todo — o que é de se esperar quando se trata de um livro que envolve religião, força sobrenatural e guerra (com batalhas muito bem descritas, aliás). Por outro lado, a amizade entre os meninos e IdrisPukke, a gratidão, os amores que surgem, até mesmo a ironia e a inocência características da adolescência trazem uma sensibilidade especial para a trilogia. Esses livros conseguiram uma das melhores façanhas que um bom livro é capaz: entrar nos meus sonhos e me fazer esquecer totalmente da minha realidade por várias e várias vezes.

Se for para apontar algo negativo, acredito que seja o fato de se tratar de uma leitura pesada, como disse anteriormente. Não consegui concluir nem um dos três livros direto, sem dar uma pausa no meio e ler outras coisas. O segundo livro, "As Últimas Quatro Coisas", foi o que menos me agradou. Entende-se que as batalhas fazem parte da obra, e muitas delas são extremamente interessantes, mas esse "meio" me pareceu bem empurrado. Ocorreram várias batalhas e pouco desenrolar da história em geral. Também devo confessar que fiquei um pouco descontente com a conclusão da trilogia que deixou algumas dúvidas.

De qualquer forma, o saldo foi extremamente positivo. Mesmo com a leitura pesada, a história é tão envolvente que nos força a continuar. Qualquer palavra seria pouco para parabenizar o autor pela criatividade e pela habilidade em entrelaçar tão bem sentimentos tão contraditórios, e isso tratando um assunto complicado (religião) com a naturalidade de qualquer obra de fantasia e horror. Devemos levar em conta que existe uma história por aí envolvendo sítio arqueológico e a SANU que tira todo esse crédito do suposto autor. Mas independente disso, no mínimo sou grata por ele ter tornado possível que eu pudesse conhecer Thomas Cale e quase ouvir O Bater de Suas Asas.


Obrigada Paul Hoffman (ou Paul Fahrenheit) !!!

4 comentários:

  1. Você lê seus comentários? hahaha, comecei a ler o bater de suas asas hoje e me intriguei muito com as notas sobre a sanu e tudo mais... vim pesquisar e cai aqui, gostei das resenhas, você escreve bem! E lê melhor ainda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Leio sim, é que não costumo divulgar o blog, então quase não recebo comentários haha mas leio! Eu também fiquei bem intrigada sobre a sanu, mas não encontrei nenhuma explicação clara pela internet... Tanto que fiquei na possibilidade rs e fico feliz que tenha gostado das resenhas! Obrigada e seja bem vindo aqui quando quiser :)

      Excluir
    2. Hehehe, entendo! terminei hoje o livro - devorei. Pena que acabou. Hahaha, ainda intrigado com isso da sanu, vou tentar pesquisar melhor depois :) outra coisa que me deixa em dúvida quando a isso é fato de ele usar países que existem... fiquei completamente perdido nas eras hahaha! ah... enfim, vou aproveitar seu bom gosto pra descobrir meu próximo livro :)

      Excluir
    3. Sim, também vou procurar melhor a respeito disso qualquer hora, quem sabe surgiram novos dados desde minha última pesquisa... rs. Sobre a ambiente, eu também me senti um pouco perdida, então preferi adotar a imagem de uma realidade paralela no nosso mundo mesmo; às vezes parecia passado (na era medieval), mas outras coisas me pareciam modernas demais pra isso hahaha agradeço o elogio pelo bom gosto! Faculdade anda ocupando bem meu tempo ultimamente, mas vou procurar atualizar o blog por esses dias :D e gosto muito de trocar impressões sobre os livros!

      Excluir