quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Edição de Bolso e/ou Econômica: preconceito por quê?

Muitos colecionadores de livros têm problemas com edições econômicas e de bolso. Eu também passei por essa fase e, sinceramente, se puder evitar a opção, ainda evito pelo seguinte: infelizmente, grande parte dessas edições trazem o texto resumido e/ou o material não é de boa qualidade, soltando páginas, entortando ou descascando a capa, o que é uma boa justificativa para aqueles que são apaixonados e odeiam a ideia de ver seus livros definhando. Sendo assim, sempre mantive minhas compras nas edições normais.

Um dia me deparei com um título do Stephen King na faixa de R$ 25,00. Quem conhece sabe que livros dele não custam menos do que R$ 40, uns R$ 38 se você tiver muita sorte. O livro em questão era Dança Macabra, um ensaio sobre a arte do terror nos anos de 1960, 1970 e 1980 pela visão do mestre. Por não se tratar de um romance, acreditei que o preço estivesse certo e não prestei atenção no tipo da edição. Quando o livro chegou fiquei um tanto decepcionada e revoltada com a minha ingenuidade: era a tal edição de bolso da editora Ponto de Leitura. Um nanico gordinho que nem parecia ser um King, e sim uma Bíblia — veja que preconceito!

Por um tempo deixei o coitadinho guardado de canto na prateleira e li outras coisas. Até então eu tinha apenas um livro do King, Sombras da Noite da editora Suma de Letras, que paguei uns R$ 44. Era estranho ver meus únicos livros dele tão diferentes e tão distantes na prateleira (por questões de organização de tamanho etc.), mas resolvi aceitar pensando que, como aquele não era um romance e sim um ensaio, seria uma exceção.

Quando peguei ele para ler, ele acabou se tornando meu mascotinho. A qualidade era muito boa, mas ainda assim eu afirmava que aquele seria o único que eu compraria daquela edição.

Até que chegou o fatídico dia.

Saga completa A Torre Negra por R$ 65 naquela edição de bolso. 

SESSENTA E CINCO REAIS POR SETE LIVROS DO STEPHEN KING! 

E eu tinha pago R$ 44 em apenas um de uma edição normal.

Peguei aquele que eu já tinha da Ponto de Leitura. Analisei bem. Vi que realmente tinha construído um carinho especial por ele e que a qualidade era muito boa. Páginas costuradas (que não soltam), amarelas (não que eu tenha algo contra as brancas, mas amarelas são realmente mais confortáveis), o texto integral... Por que não? Além do quê, em minhas condições financeiras de universitária quebrada, ou era isso ou não era nada. A coleção em edição normal varia entre R$ 150 e R$ 200, as vezes mais. Mais vale vários King's na estante do que ficar mantendo esse preconceito bobo e me privando de leituras fantásticas e de alto nível.

Como eu já ia comprar os sete d'A Torre Negra, aproveitei e comprei mais um pacote com quatro outros títulos que traziam um pequeno desconto quando comprados juntos. E esse foi o resultado:


É claro que alguns probleminhas apareceram, nada é perfeito. Alguns dos livros são bem grossos, e juntando ao fato de serem pequenos na altura e na largura, causam certo desconforto no manuseio na hora da leitura. E ainda por serem grossos, a abertura para ler acaba resultando nessa dobrinha na lombada (mas isso acontece com qualquer livro grosso, seja ele de bolso ou não).



A saga A Torre Negra também é diferente dos outros livros. Para começar as páginas são brancas, mas como disse anteriormente, isso não é um problema para mim. O que não me deixou muito feliz foi o fato de serem coladas ao invés de serem costuradas, o que facilita que soltem no final do livro. É necessário cuidado dobrado!

Mas mesmo com esses pequenos detalhes, posso afirmar que não me arrependi pela compra em momento algum! Sou extremamente apaixonada por eles, confesso que até mais do que por outros de autores que me "encantam" menos que o King. Ficar admirando aquela pilha de gordinhos dentro do armário é uma delícia! E, claro, ler King é uma viagem sem igual. 

No fim das contas eu fico é grata pela Ponto de Leitura tornar possível que eu realize minha coleção de obras desse autor tão aclamado pelo mundo todo. Assim que for terminando a leitura dessa compra linda, irei em busca de aumentar a coleção. 

E afinal, quem ama os livros ama pelas palavras e pela magia que eles trazem, não por sua edição de luxo. Evitar comprar edição de bolso/econômica porque aquela material em especial é muito ruim ou o texto é resumido, é válido. Evitar comprar edição de bolso/econômica por puro preconceito é bobagem das grandes! Ainda mais quem é pobre igual eu e não consegue adquirir um King padrão, não sabe o que está perdendo...


Obs: vale ressaltar que, pelo menos até o momento, não encontramos títulos dos mais famosos do autor nessa edição. Se eu quiser realizar meu desejo de comprar O Iluminado ou O Cemitério, ainda terei que desembolsar uma pequena fortuna.

3 comentários:

  1. estou tentando me livrar desse preconceito kkkk

    ResponderExcluir
  2. Eu detesto, e pra ser sincero, se for apenas para ler (o que eu adoro obviamente) eu leio em pdf mesmo. Não tem porque gastar com edição econômica... Principalmente do King que dá pra achar praticamente qualquer livro em pdf dele...

    ResponderExcluir
  3. Legal! Estou me "amarrando" em edições econômicas ultimamente, afinal de contas, elas tem melhorado bastante. Só a L&PM que insiste em páginas brancas e colagem extremamente justas na hora de abrir os livros. Não tenho nenhum livro da suma de livros ainda, gostaria de ver fotografias de como é o livro aberto (ou seja, se dá para abir bem ou se fica muito apertado). Se tiver como, poste algumas fotos mostrando. abraçosss

    ResponderExcluir